quarta-feira, 5 de março de 2014

Ônibus 100% elétrico começa a operar em SP

05/03/2014 - Mercado Ético

O governador Geraldo Alckmin participou nesta quinta-feira (20), em Diadema (SP), da cerimônia que marcou o início das operações de transporte de passageiros do E-bus, primeiro ônibus elétrico brasileiro movido 100% a baterias

O veículo tem o chassi Mercedes-Benz, a carroceria Induscar/Caio e o motor elétrico WEG.

O veículo tem autonomia operacional de 200km, um sistema de recarga rápida, e vai fazer o transporte de passageiros das 10h às 16h no Corredor ABD, administrado pela concessionária Metra, no trecho Diadema - Brooklin.

O ônibus foi desenvolvido pela Eletra, empresa brasileira especializada em veículos de transporte urbano com tração elétrica, e as japonesas Mitsubishi Heavy Industries e Mitsubishi Corporation. A EMTU/SP e a concessionária Metra integram a parceria para operar, monitorar e avaliar o resultado dos testes, que começaram logo após o lançamento do veículo, em novembro de 2013.

"A parceria com a gigante japonesa Mitsubishi foi essencial para dar um passo importante para a oferta de um veículo inovador e que coloca a tecnologia brasileira em papel de destaque mundial", afirmou Iêda Maria Oliveira, gerente comercial da Eletra.

O veículo foi produzido com chassi Mercedes-Benz, carroceria Induscar/Caio e motor elétrico WEG. O ônibus articulado conta ainda com ar condicionado e tem capacidade para 150 passageiros. Ele é o primeiro ônibus elétrico a baterias com 18 metros de comprimento no mundo. As baterias poderão ser recarregadas no terminal, de acordo com a necessidade da operação.

A tecnologia das baterias e das estações de recarga foi desenvolvida pela Mitsubishi Heavy Industries, que tem manifestado interesse em transferi-la para empresas brasileiras. Já o chassi, carroceria e todo o sistema elétrico de tração são fabricados no Brasil, semelhantes aos trólebus desenvolvidos pela Eletra. A interface entre os dois sistemas foi desenvolvida pelas engenharias das duas empresas: Eletra e Mitsubishi Heavy Industries.

Nenhum comentário:

Postar um comentário